Bolsonaro acusou PT por anos de roubar o dinheiro do BNDES com empreiteiras por anos e após gastar R$48 MILHÕES com auditoria descobre que não tinha nada irregular

Não existe maior disseminador de fakenews no Brasil, quanto o presidente Jair Bolsonaro, tem o dom da maldade para criar as mentiras, fazer as pessoas acreditarem e ainda despertar todo o ódio que existe no ser humano.
O presidente passou 2 anos mais o período eleitoral dizendo que o PT roubou trilhões do BNDES através de empreiteiras, desviou milhões e milhões… Então o novo presidente do BNDES resolve mandar abrir a famosa “caixa-preta” que o presidente sempre atacou o PT de existir, gasta R$48 MILHÕES e NÃO ENCONTRA NADA.
Primeiro que gastou R$48 MILHÕES, não foram R$458 MIL, foram MILHÕES.
Fez uma campanha eleitoral cheia de mentiras para ganhar, um batalhão de exército de perfis fakes para disseminar as informações falsas como já foi denunciado por vários deputados e ainda tem a cara de pau de acusar os outros sem provas.
Em reportagem do Estadão, diz que o valor foi pago a um escritório estrangeiro, o Cleary Gottlieb Steen & Hamilton LLP, que subcontratou outro brasileiro, o Levy & Salomão. O BNDES não revela quantos funcionários trabalharam na auditoria nem quais critérios foram utilizados para fazer o pagamento pelo trabalho. O relatório tem oito páginas. Seria como se cada folha custasse R$ 6 milhões.

Depois que a reportagem foi publicada, a assessoria de imprensa do BNDES entrou em contato com a reportagem para informar que, além do relatório de oito páginas, a auditoria entregou outro documento, “mais robusto”, às autoridades, que decidirão se usam o material.

No parecer de oito páginas, a equipe de investigação concluiu que as decisões do banco “parecem ter sido tomadas depois de considerados diversos fatores negociais e de sopesados os riscos e potenciais benefícios para o banco”. “Os documentos da época e as entrevistas realizadas não indicaram que as operações tenham sido motivadas por influência indevida sobre o banco, nem por corrupção ou pressão para conceder tratamento preferencial à JBS, à Bertin e à Eldorado”, diz trecho do relatório que o Estadão teve acesso. Ou seja, gastaram R$48 MILHÕES e ESCONDERAM AS INFORMAÇÕES. O que fizeram com o dinheiro do povo?

View this post on Instagram

Não existe maior disseminador de fakenews no Brasil, quanto o presidente Jair Bolsonaro, tem o dom da maldade para criar as mentiras, fazer as pessoas acreditarem e ainda despertar todo o ódio que existe no ser humano. O presidente passou 2 anos mais o período eleitoral dizendo que o PT roubou trilhões do BNDES através de empreiteiras, desviou milhões e milhões… Então o novo presidente do BNDES resolve mandar abrir a famosa “caixa-preta” que o presidente sempre atacou o PT de existir, gasta R$48 MILHÕES e NÃO ENCONTRA NADA. Primeiro que gastou R$48 MILHÕES, não foram R$458 MIL, foram MILHÕES. Fez uma campanha eleitoral cheia de mentiras para ganhar, um batalhão de exército de perfis fakes para disseminar as informações falsas como já foi denunciado por vários deputados e ainda tem a cara de pau de acusar os outros sem provas. Em reportagem do Estadão, diz que o valor foi pago a um escritório estrangeiro, o Cleary Gottlieb Steen & Hamilton LLP, que subcontratou outro brasileiro, o Levy & Salomão. O BNDES não revela quantos funcionários trabalharam na auditoria nem quais critérios foram utilizados para fazer o pagamento pelo trabalho. O relatório tem oito páginas. Seria como se cada folha custasse R$ 6 milhões. Depois que a reportagem foi publicada, a assessoria de imprensa do BNDES entrou em contato com a reportagem para informar que, além do relatório de oito páginas, a auditoria entregou outro documento, "mais robusto", às autoridades, que decidirão se usam o material. No parecer de oito páginas, a equipe de investigação concluiu que as decisões do banco "parecem ter sido tomadas depois de considerados diversos fatores negociais e de sopesados os riscos e potenciais benefícios para o banco". "Os documentos da época e as entrevistas realizadas não indicaram que as operações tenham sido motivadas por influência indevida sobre o banco, nem por corrupção ou pressão para conceder tratamento preferencial à JBS, à Bertin e à Eldorado", diz trecho do relatório que o Estadão teve acesso. Ou seja, gastaram R$48 MILHÕES e ESCONDERAM AS INFORMAÇÕES. O que fizeram com o dinheiro do povo?

A post shared by Blog Thalita Moema (@thalitamoemablog) on

Compartilhar no linkedin
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no print

Deixe uma resposta

VEJA TAMBÉM

Thalita Moema

Aqui você pode falar um pouco sobre você, sobre o site!

Publicidade

  • Mídia Kit
  • Anuncie
  • Contato

Sobre

  • Politica de privacidade
  • Termos de uso
  • Sobre o Blog

Links úteis

  • Politica
  • Notícias
  • Viagens
error: O conteúdo está protegido !!