Com aumento de casos da COVID-19, Governo de Pernambuco suspende carnaval

O Carnaval de Pernambuco foi suspenso nesta quinta-feira (17) em razão do aumento de casos de Covid-19. O governo de Pernambuco anunciou que a medida vale para todo o estado e teve como base o atual momento epidemiológico e os indicadores da doença.

Nas últimas semanas, mesmo antes do anúncio oficial, algumas agremiações carnavalescas já tinham comunicado por meio das redes sociais que não iriam desfilar em 2021.

O Homem da Meia-Noite, entidade máxima do Carnaval pernambucano, responsável por abrir oficialmente a folia em Olinda, informou na semana passada que não iria às ruas em respeito à vida.

O secretário de Saúde de Pernambuco, André Longo, destacou o peso da decisão anunciada nesta quinta. “Essa não é uma decisão fácil, pois o Carnaval representa muito mais do que uma festa para o povo pernambucano. É fato que, até fevereiro, não teremos a maior parte da população vacinada”, destacou.

A medida proíbe a realização de festas em espaços públicos e privados. O governo já havia cancelado festividades relacionadas ao Natal e ao Réveillon.

Nos bastidores, o prefeito eleito do Recife, João Campos (PSB), espera a aprovação de lei em tramitação na Câmara dos Deputados que transfere o feriado do Carnaval para os dias 5 e 6 de julho. Desta maneira, as pessoas teriam que trabalhar no feriado previsto em fevereiro, o que diminuiria as chances de aglomerações nesta época.

Campos teve conversas em Brasília com o autor do projeto, o deputado Luiz Antônio Teixeira Júnior (PP-RJ). O parlamentar acredita que, no segundo semestre, haverá uma boa parte da população imunizada.

O governo de Pernambuco também publicou nesta quinta-feira novo decreto prorrogando o estado de calamidade pública, em razão da pandemia, até o dia 30 de junho de 2021. A validade do novo decreto é de 180 dias e começa a vigorar em 1º de janeiro de 2021.

Na semana passada, diante do aumento de casos do novo coronavírus, o governo anunciou que colocaria em operação mais leitos à disposição dos pacientes suspeitos ou confirmados para a Covid-19.

O plano, que beneficiará todas as quatro macrorregionais de saúde do Estado, começou a ser colocado em prática. De acordo com a Secretaria de Saúde, até agora, 151 leitos novos foram abertos, sendo 50 de UTI e 101 de enfermaria. Dos 894 leitos de UTI regulados pelo estado, 82% estão ocupados.

FolhaPress

Compartilhar no linkedin
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no print

Deixe uma resposta

VEJA TAMBÉM

Thalita Moema

Aqui você pode falar um pouco sobre você, sobre o site!

Publicidade

Sobre

Links úteis

error: O conteúdo está protegido !!