1190x250-suzane

Leo Dias é denunciado pela Federação Nacional dos Jornalistas

Jornalista que divulgou informações sigilosas da atriz Klara Castanho, Leo Dias foi denunciado pela Federação Nacional dos Jornalistas (FENAJ) por possível descumprimento do código de ética da profissão. A denúncia foi encaminhada ao Conselho de Ética do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Distrito Federal (SJPDF), segundo nota do FENAJ.

A atriz gestou e deu à luz a um bebê fruto de um estupro, decidiu entrega-lo à adoção, o que é permitido pela lei. No entanto, essas informações sigilosas foram vazadas por Leo Dias com colaboração da equipe do hospital em que estava, o que causou repúdio também de jornalistas, inclusive de fofoca, a exemplo de Leão Lobo. Também se manifestaram contra o vazamento de informações o grupo a Tarde, através do seu editorial.

Além da FENAJ, que representa os jornalistas, uma outra entidade de classe, o Conselho Regional de Enfermagem de São Paulo, também se posicionou sobre o caso e diz estar em apuração sobre o vazamento, que teve a colaboração da enfermeira do hospital em que Klara Castanho estava. Na segunda-feira, 28, a deputada estadual de São Paulo, Érica Malunguinho (PSOL), protocolou Projeto de Lei que garante sigilo de pessoas grávidas.

Confira a nota da FENAJ:

A Federação Nacional dos Jornalistas (FENAJ), por meio da sua Comissão Nacional de Mulheres, vem a público solidarizar-se com a atriz Klara Castanho, que teve uma situação pessoal exposta pela mídia, resultando em ataques pessoais aos quais teve de se defender com uma carta aberta em seu perfil no Instagram. A atriz engravidou após um estupro e encaminhou a criança para adoção, cumprindo os trâmites legais. A situação, de caráter absolutamente particular e sigilosa, foi exposta pelo colunista do site Metrópoles, Leo Dias, no fim de semana. Após a repercussão negativa, o link foi retirado do site. Mas a divulgação já havia desencadeado uma onda de ódio nas redes sociais, com novos ataques à honra da atriz, causando sua revitimização num já doloroso momento pessoal. São fortes as evidências de que o colunista feriu o Código de Ética do Jornalista Brasileiro. Pela gravidade do caso, a Diretoria Executiva e a Comissão de Mulheres da FENAJ vão encaminhar denúncia contra o jornalista à Comissão de Ética do Sindicato dos Jornalistas do Distrito Federal, que deverá apurar o caso, dando amplo direito de defesa ao profissional. O caso serve para reafirmar a luta encabeçada pela FENAJ e Sindicatos de Jornalistas filiados pela criação do Conselho Federal de Jornalistas (CFJ), uma forma de garantir uma profissão digna, com um contrato público e ético com a sociedade. Temos lutado pelo Conselho Federal dos Jornalistas para que as próprias entidades sindicais possam controlar a emissão de registros profissionais e promover a cultura do respeito ao Código de Ética, por meio da fiscalização.

 

A Tarde

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

VEJA TAMBÉM:

error: O conteúdo está protegido !!

Redes sociais