MPE pede cassação de prefeito e vice de Pedro Avelino por compra de votos e caixa 2

A promotora eleitoral Juliana de Lucena, da comarca de Lajes, emitiu um parecer pedindo cassação da chapa “União, Força e Trabalho”, do atual prefeito e vice de Pedro Avelino, José Alexandre Sobrinho e Elson Batista da Trindade, eleitos da eleição suplementar em junho deste ano.

No parecer a promotora diz que as provas são robustas e suficientes para condenar a chapa, evidenciando captação ilícita de sufrágio, a prática de Caixa 2, compra de votos e abuso de poder econômico. Confira: “Assim, alegando estarem caracterizados atos de abuso de poder econômico, realizado por meio do uso de “caixa 2” para a distribuição de benesses, tais como serviços de advocacia, pagamentos de tributos estaduais de motocicletas, entrega de dinheiro em espécie, abastecimento de veículos, tudo com o intento de vincular votos.

Portanto, requereram o julgamento procedente da presente representação para que sejam impostas as penalidades legais por suas condutas. 

Juntaram aos autos mídias digitais contendo diversos vídeos e áudios, apresentados como meios de prova”. As testemunhas informaram sobre as compras de votos, para uma eleitora foi R$300,00 e para outro eleitor R$1.000,00 a promotora informou ainda que tudo foi registrado em fotos e vídeos.

O parecer do MPE, foi:

“ Portanto, diante das razões acima declinadas, o MINISTÉRIO PÚBLICO ELEITORAL manifesta-se pelo acatamento da preliminar de ilegitimidade ad causam e a rejeição das demais preliminares suscitadas pelos investigados e, no mérito OPINA pela PROCEDÊNCIA dos pedidos formulados na inicial”.

Compartilhar no linkedin
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no print

Deixe uma resposta

VEJA TAMBÉM

Thalita Moema

Aqui você pode falar um pouco sobre você, sobre o site!

Publicidade

Sobre

Links úteis

error: O conteúdo está protegido !!